I like getting drunk on Rose, dark chocolate, roast dinners, number one would be indulgence,s ending postcards, drawing pictures! Always remembering!
Falling over, banging heads, holes in both our tights, bruises, both late! I forget but you always remember. Perfume fresh, wooden floorboards, wardrobes, charity shops and tube stops, sisters, fights, tears and thoughts about the future but lets stick to the present! Like sellotape wrapped up so tight. I love thinking about you, I've never laughed so hard. Felt so good, like a child!





1st page


ask me
123456789101112131415»
Enjoy the little things

and pick some mulberry

theme by sabedorias, with details by sk8er-girl,
b-reakable, desesperancoso, affectingyou e l-oveyourself.
« dont copy, dont remove this tag »

Finalmente terminei de essa trilogia. Sinceramente, fiquei muito emocionada vendo o trailer do filme do que lendo do livro. 
Agora vamos falar sobre a minha literatura de julho. O único livro que tive contato durante às férias, chega a ser um pouco vergonhoso. Mas estava precisando de algo “leve” para ler. Achei desnecessário as cenas de sexo. E ela tentou fazer uma história de mistério, alguma ação, mas para mim ela não conseguiu. Enfim, não tenho muito o que dizer sobre o livro (pelo menos não coisas positivas), 500 páginas em 4 dias! Porque acho SIM uma narrativa leve. http://finilla.com.br/dez-tipicos-leitores-de-50-tons-de-cinza

Finalmente terminei de essa trilogia. 

Sinceramente, fiquei muito emocionada vendo o trailer do filme do que lendo do livro. 

Agora vamos falar sobre a minha literatura de julho. O único livro que tive contato durante às férias, chega a ser um pouco vergonhoso. Mas estava precisando de algo “leve” para ler. 

Achei desnecessário as cenas de sexo. E ela tentou fazer uma história de mistério, alguma ação, mas para mim ela não conseguiu. Enfim, não tenho muito o que dizer sobre o livro (pelo menos não coisas positivas), 500 páginas em 4 dias! Porque acho SIM uma narrativa leve. 

http://finilla.com.br/dez-tipicos-leitores-de-50-tons-de-cinza




The Murders  in the Rue Morgue - Edgar Allan PoeNo começo do Dexter um designe de assassino, ele diz que a maior decepção de sua vida é conhecer Paris e descobrir que Rue Morgue não existe. Sim, porque como qualquer outra coisa feita por Mr. Poe esse livro que esperei horrores para ler, é maravilhoso. Simples, objetivo, misterioso e perfeito para ler em uma tarde.Lógico, se você não lê em inglês e quer conhecer Edgar Allan Poe comece com “O Corvo” traduzido por Machado de Assis, mas se não gosta dos “classicos” existe a tradução (que é a minha predileta) por Fernando Pessoa.Alias: Edgar Allan Poe é patrimônio publico, então, existe sim livro dele para downlload. 

The Murders  in the Rue Morgue - Edgar Allan Poe


No começo do Dexter um designe de assassino, ele diz que a maior decepção de sua vida é conhecer Paris e descobrir que Rue Morgue não existe. Sim, porque como qualquer outra coisa feita por Mr. Poe esse livro que esperei horrores para ler, é maravilhoso. 
Simples, objetivo, misterioso e perfeito para ler em uma tarde.

Lógico, se você não lê em inglês e quer conhecer Edgar Allan Poe comece com “O Corvo” traduzido por Machado de Assis, mas se não gosta dos “classicos” existe a tradução (que é a minha predileta) por Fernando Pessoa.

Alias: Edgar Allan Poe é patrimônio publico, então, existe sim livro dele para downlload. 




eyesxfdiamxnd:

Soso cuteee

eyesxfdiamxnd:

Soso cuteee



Posted 3 months ago with 102 notes · reblog this
originally eyesxfdiamxnd via eyesxfdiamxnd




tags: #bob dylan
Posted 3 months ago with 5 notes · reblog this


Garota Interrompida - Susanna KaysenÉ daqueles livros que eu fiquei com medo de que estragasse o filme, enfim, não foi assim. Certamente como qualquer outro filme: os dois são totalmente diferentes, mas um não estraga o outro. E faz pensar, pensar, pensar, e impossivel parar de ler."Dessa vez, li o título da pintura: Garota interrompida em sua musica. Interrompida em sua música: tal qual acontecera com a minha vida, interrompida durante a música dos 17 anos, tal qual a vida dela, roubada e presa a uma tela; um momento congelado no tempo mais importante que todos os outros momentos, quaisquer que fossem ou que viessem a ser. Quem pode se recuperar disso??"

Garota Interrompida - Susanna Kaysen


É daqueles livros que eu fiquei com medo de que estragasse o filme, enfim, não foi assim. Certamente como qualquer outro filme: os dois são totalmente diferentes, mas um não estraga o outro. 
E faz pensar, pensar, pensar, e impossivel parar de ler.

"Dessa vez, li o título da pintura: Garota interrompida em sua musica. Interrompida em sua música: tal qual acontecera com a minha vida, interrompida durante a música dos 17 anos, tal qual a vida dela, roubada e presa a uma tela; um momento congelado no tempo mais importante que todos os outros momentos, quaisquer que fossem ou que viessem a ser. Quem pode se recuperar disso??"




(Source: yellowstarsshineforyou)



Posted 3 months ago with 237 notes · reblog this
originally yellowstarsshineforyou via ssarahflowerss


socialjusticeburger:

/// kate nash’s cover of arctic monkey’s fluorescent adolescent [x] ///

(Source: nerdwad)



Posted 3 months ago with 233 notes · reblog this
originally nerdwad via rejeicoes


the-girl-who-fell-to-the-earth:

slowburn-to-ashes:

'Heroes' Photoshoot 

David Bowie

Best fucking photoset ever!







Você tem medo de se apaixonar. Medo de sofrer o que não está acostumada. Medo de se conhecer e esquecer outra vez. Medo de sacrificar a amizade. Medo de perder a vontade de trabalhar, de aguardar que alguma coisa mude de repente, de alterar o trajeto para apressar encontros. Medo se o telefone toca, se o telefone não toca. Medo da curiosidade, de ouvir o nome dele em qualquer conversa. Medo de inventar desculpa para se ver livre do medo. Medo de se sentir observada em excesso, de descobrir que a nudez ainda é pouca perto de um olhar insistente. Não suportar ser olhada com esmero e devoção. Nem os anjos, nem Deus agüentam uma reza por mais de duas horas. Medo de ser engolida como se fosse líquido, de ser beijada como se fosse líquen, de ser tragada como se fosse leve. Você tem medo de se apaixonar por si mesma logo agora que tinha desistido de sua vida. Medo de enfrentar a infância, o seio que criou para aquecer as mãos quando criança, medo de ser a última a vir para a mesa, a última a voltar da rua, a última a chorar. Você tem medo de se apaixonar e não prever o que pode sumir, o que pode desaparecer. Medo de se roubar para dar a ele, de ser roubada e pedir de volta. Medo de que ele seja um canalha, medo de que seja um poeta, medo de que seja amoroso, medo de que seja um pilantra, incerta do que realmente quer, talvez todos em um único homem, todos um pouco por dia. Medo do imprevisível que foi planejado. Medo de que ele morda os lábios e prove o seu sangue. Você tem medo de oferecer o lado mais fraco do corpo. O corpo mais lado da fraqueza. Medo de que ele seja o homem certo na hora errada, a hora certa para o homem errado. Medo de se ultrapassar e se esperar por anos, até que você antes disso e você depois disso possam se coincidir novamente. Medo de largar o tédio, afinal você e o tédio enfim se entendiam. Medo de que ele inspire a violência da posse, a violência do egoísmo, que não queira repartir ele com mais ninguém, nem com seu passado. Medo de que não queira se repartir com mais ninguém, além dele. Medo de que ele seja melhor do que suas respostas, pior do que as suas dúvidas. Medo de que ele não seja vulgar para escorraçar mas deliciosamente rude para chamar, que ele se vire para não dormir, que ele se acorde ao escutar sua voz. Medo de ser sugada como se fosse pólen, soprada como se fosse brasa, recolhida como se fosse paz. Medo de ser destruída, aniquilada, devastada e não reclamar da beleza das ruínas. Medo de ser antecipada e ficar sem ter o que dizer. Medo de não ser interessante o suficiente para prender sua atenção. Medo da independência dele, de sua algazarra, de sua facilidade em fazer amigas. Medo de que ele não precise de você. Medo de ser uma brincadeira dele quando fala sério ou que banque o sério quando faz uma brincadeira. Medo do cheiro dos travesseiros. Medo do cheiro das roupas. Medo do cheiro nos cabelos. Medo de não respirar sem recuar. Medo de que o medo de entrar no medo seja maior do que o medo de sair do medo. Medo de não ser convincente na cama, persuasiva no silêncio, carente no fôlego. Medo de que a alegria seja apreensão, de que o contentamento seja ansiedade. Medo de não soltar as pernas das pernas dele. Medo de soltar as pernas das pernas dele. Medo de convidá-lo a entrar, medo de deixá-lo ir. Medo da vergonha que vem junto da sinceridade. Medo da perfeição que não interessa. Medo de machucar, ferir, agredir para não ser machucada, ferida, agredida. Medo de estragar a felicidade por não merecê-la. Medo de não mastigar a felicidade por respeito. Medo de passar pela felicidade sem reconhecê-la. Medo do cansaço de parecer inteligente quando não há o que opinar. Medo de interromper o que recém iniciou, de começar o que terminou. Medo de faltar as aulas e mentir como foram. Medo do aniversário sem ele por perto, dos bares e das baladas sem ele por perto, do convívio sem alguém para se mostrar. Medo de enlouquecer sozinha. Não há nada mais triste do que enlouquecer sozinha. Você tem medo de já estar apaixonada.
Fabrício Carpinejar. (via auroriar)


Posted 3 months ago with 31,635 notes · reblog this
originally auroriar via auroriar




Posted 3 months ago with 41,884 notes · reblog this
originally sexual-passion via supostos


QUESTIONSSS 



tags: #about
Posted 3 months ago with 154,836 notes · reblog this
originally handcrafted-in-germany via pickingmulberry


(Source: chadwickstattoos)



Posted 3 months ago with 4,075 notes · reblog this
originally chadwickstattoos via poisonforever


"you know what? weed has never killed anybody so instead of smoking them cigarettes, why don’t you guys just roll a fat joint"

(Source: badbitchmiley)



Posted 3 months ago with 659 notes · reblog this
originally badbitchmiley via mileycyrrs


Cinquenta tons mais escuros - EL JamesSerá que estou pronta para ser crucificada?!Eu li ano passado o Cinquenta tons, e não sabia dizer se gostei ou não, e então, resolvi ler o segundo, a linguagem é tão fácil que li em 3 dias. Realmente tem muita cena que não precisada, aquela coisa da outra submissa, ou o chefe da Anastácia, mas enfim, sem esses personagens que história teria no livro? NENHUMA. 
Não sei se é algo do tradutor, que realmente na parte em que estão no restaurante descuidou e traduziu o nome de uma musica, mas tudo bem. Voltando, não sei se é algo do tradutor, ou é a autora mesmo, mas a linguagem do livro, muito leve, realmente é para o “povão” aquelas mulheres que não tem um contato com a literatura, querem ler pela a curiosidade do sexo. Mas Christian Grey nada mais é do que um personagem esteriótipo: homem bonito, rico, inteligente e bom em trepada. E sobre a Ana, me da vergonha em dizer que tenho a mesma formação acadêmica que ela. AHH que menina tédio.
Querem um livro bom?! Inferno de Gabriel e suas continuações. É de fazer imaginar a história.

Cinquenta tons mais escuros - EL James


Será que estou pronta para ser crucificada?!

Eu li ano passado o Cinquenta tons, e não sabia dizer se gostei ou não, e então, resolvi ler o segundo, a linguagem é tão fácil que li em 3 dias. 
Realmente tem muita cena que não precisada, aquela coisa da outra submissa, ou o chefe da Anastácia, mas enfim, sem esses personagens que história teria no livro? NENHUMA. 

Não sei se é algo do tradutor, que realmente na parte em que estão no restaurante descuidou e traduziu o nome de uma musica, mas tudo bem. Voltando, não sei se é algo do tradutor, ou é a autora mesmo, mas a linguagem do livro, muito leve, realmente é para o “povão” aquelas mulheres que não tem um contato com a literatura, querem ler pela a curiosidade do sexo. Mas Christian Grey nada mais é do que um personagem esteriótipo: homem bonito, rico, inteligente e bom em trepada. E sobre a Ana, me da vergonha em dizer que tenho a mesma formação acadêmica que ela. AHH que menina tédio.

Querem um livro bom?! Inferno de Gabriel e suas continuações. É de fazer imaginar a história.



Instagram